O plano “ridículo” de Churchill de estender a Segunda Guerra Mundial após a rendição da Alemanha exposto

WINSTON CHURCHILL tinha um plano para estender a Segunda Guerra Mundial após a rendição da Alemanha para reprimir a influência soviética no leste da Europa, o que um historiador chamou de “ridículo e perigoso”.

Passaram três quartos de século desde que os Aliados aceitaram formalmente a rendição da Alemanha nazis em 8 de maio de 1945 – conhecida como Dia da Vitória na Europa, apenas uma semana após Adolf Hitler cometer suicídio durante a Batalha de Berlim. Com a derrota da Alemanha, ocorreram celebrações em todo o mundo ocidental, especialmente no Reino Unido, onde mais de um milhão de pessoas tomaram as ruas de Londres, enchendo a Trafalgar Square e subindo o Mall até o Palácio de Buckingham, onde o rei George VI, a rainha Elizabeth e o primeiro-ministro Winston Churchill apareceram na varanda do palácio diante das multidões. Mas, o que muitos não sabem é que Churchill estava mapeando o que ele acreditava ser a próxima luta militar da Grã-Bretanha contra a União Soviética, à medida que seus temores cresciam sobre a influência comunista de Joseph Stalin na Europa Oriental.

Seu plano, programado para 1º de Julho de 1945, que passou a ser conhecido como “Operação Inimaginável“, foi exposto pelo historiador Cody Franklin durante um mini-documentário no YouTube.

Ele disse em 2014: “Não é surpresa que o Ocidente e a URSS se odiassem e imediatamente após a queda de Berlim, a Cortina de Ferro subiu.”

“No entanto, é uma surpresa que houvesse um plano tão ridículo e perigoso que não apenas causaria a 3ª Guerra Mundial, mas também a guerra nuclear.”

Churchill ficou zangado com o número de países pelos quais os soviéticos reivindicaram influência após a queda da Alemanha nazi e ele acreditava que, quando a Segunda Guerra Mundial terminasse, a URSS estaria à beira do colapso completo.

“No entanto, esse não foi o caso e Churchill não gostou deste novo mundo, pois a URSS começou a instalar governos comunistas no leste da Europa e seus exércitos estavam muito longe a oeste aos olhos de Churchill.”

Franklin continuou detalhando como o plano de Churchill foi lançado por outros líderes mundiais.

Ele acrescentou: “Assim, ele propôs uma solução chamada Operação Impensável e era realmente impensável, o plano era um conflito anglo-americano em larga escala contra os russos.

“O objectivo era expulsar as forças soviéticas da Alemanha, Polónia e leste da Europa para combater o poder crescente da Rússia.

“Como era tão exagerado, muitos pensaram que a Operação Impensável era suicida; assim, o plano de guerra total foi rapidamente ignorado por líderes razoáveis.

“Logo depois que Churchill foi eliminado do cargo por razões não relacionadas, mas e se a Operação Impensável realmente tivesse acontecido?”

Franklin continuou detalhando a teoria por trás do plano de Churchill.

Ele acrescentou: “O primeiro obstáculo que as potências aliadas teriam que superar era a grande diferença de número entre eles e os russos – a força russa totalizava 11 milhões, dos quais 6,5 milhões estavam na frente alemã.

“O exército soviético simplesmente superava em número as forças anglo-americanas de dois em um; então, como os Aliados combateriam isso?

Bem, o plano era rearmar 100.000 soldados alemães capturados e reviver a máquina de guerra alemã destruída – desta vez, porém, sob controle dos Aliados contra os russos.

“Mesmo trazer de volta os alemães não seria suficiente para igualar os soviéticos, então havia outra opção – guerra nuclear.”

Mas a estratégia de Churchill era muito mais descarada e poderia ter sido o primeiro uso de uma bomba nuclear.

Franklin explicou: “Churchill sabia sobre o Projecto Manhattan e como os americanos tinham o potencial de criar uma bomba nuclear.

“Portanto, o plano era aproveitar as armas nucleares americanas para bombardear as cidades da URSS, principalmente Moscovo e Kiev, na sua mente isso seria suficiente para esmagar os soviéticos e se submeter e forçar sua retirada ou pelo menos desorientá-los enquanto as forças aliadas varriam a Europa.

“A Operação Impensável entraria em vigor em 1º de Julho de 1945, e as potências aliadas lançariam um ataque militar em larga escala contra posições russas.

“Esta coligação de forças britânicas, americanas e alemãs, 47 divisões no total atravessando o território comunista, os combates seriam brutais, os Aliados não apenas precisaram passar pela Alemanha, mas também para a Polónia, Rússia Oriental, Moscovo ou ainda mais para impedir qualquer URSS. resistência.”

Eventualmente, no final de Junho de 1945, os conselheiros militares de Churchill o advertiram contra a implementação do plano, mas ele ainda continuava sendo um plano de defesa no cenário da 3ª Guerra Mundial.

Churchill renunciou apenas um mês depois, mas os planos não viriam à tona até 1998, quando foram divulgados, embora um espião britânico , Guy Burgess, tivesse passado alguns detalhes na época para os soviéticos.

Fonte: express.co.uk

Tradução: Military Series

Recommended For You

About the Author: Redacção

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ao continuar a usar o site, você concorda com o uso de cookies. mais informação

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Close